Carta Aberta da CONEP!

Apresentação1dsad

Ocorreu na última semana, de 25 a 30 de agosto, o XXVII Encontro Nacional de Estudantes de Psicologia (ENEP). O ENEP é um importante espaço do Movimento Estudantil de Psicologia (MEPsi), de encontro de estudantes de psicologia de diversas regiões do país, em um ambiente de formação e transformação para além dos espaços institucionalizados pela academia. É também um espaço de encontro da CONEP, de formulação de diretrizes políticas de entidade e ren
ovação de seus membros. O ENEP deste ano foi realizado na Universidade Estadual do Ceará (UECE), em Fortaleza, sendo uma localidade importante, pois o último ENEP realizado no Nordeste foi em 2003 (Aracaju), fazendo mais de dez anos sem ENEP nessa região do país.
No ENEP temos diversos espaços de debates, em que são retiradas propostas de encaminhamentos, que devem ser aprovadas na plenária final. A partir do que é aprovado na plenária final, temos a publicação de um documento que direcionará as ações da CONEP ao longo do ano. Na plenária final é composto um novo coletivo gestor da CONEP.
Nesse ENEP, tivemos a possibilidade de compreender as dificuldades que passam as(os) estudantes da UECE, por conta da falta de investimento e da precarização da universidade. A UECE passou por uma greve geral recente e ainda debate a possibilidade de uma nova greve. A CONEP se solidariza com as lutas em defesa da educação pública, gratuita e de qualidade, e em específico com as lutas estudantis contra a precarização da UECE.
Também durante o ENEP tivemos reclamações de estudantes em relação à segurança no evento, principalmente sobre furtos e roubos. Devemos compreender que não estamos isoladas(os) da sociedade e que tais fatos fazem parte do cotidiano de Fortaleza e de praticamente todas metrópoles brasileiras, sendo fruto de um sistema estruturalmente desigual, de uma realidade social que lutamos para transformar. Porém nesse encontro não realizamos um debate sobre segurança e nem articulamos mecanismo coletivos que poderiam certamente ter evitados alguns ocorridos. 
Isso também vale para as questões do assédio sexual e do machismo, que também se fizeram presentes, e frequentes, durante o encontro, principalmente nas festas. Defendemos os ENEPs como espaços livres de opressões, seja do machismo, do racismo, da xenofobia ou da homofobia. Entretanto sabemos o quanto tais opressões estão arraigadas em nossa sociedade e acabam por ser reproduzidas durante os encontros estudantis. O que vivenciamos no ENEP apenas demonstra a necessidade do combate às opressões enquanto pauta central da CONEP e também quanto os cursos de psicologia ainda não dão a devida atenção a tais questões.
Sem mais, as lutas do movimento estudantil de psicologia continuam e a CONEP reafirma seu compromisso pelas transformações sociais, na luta contra as opressões do machismo, do racismo e da homofobia, sendo uma entidade anticapitalista, antiproibicionista e antimanicomial. 

Em breve estaremos disponibilizando a ata da plenária final!

“Sou da CONEP e combato o Capital, eu sou da luta antimanicomial!”

“Sou da CONEP e luto todo dia, contra o machismo, racismo e a homofobia!”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s